A história em breve

O Nascimento de Jesus1 - O Nascimento de Jesus

Quando foi a última vez que sentiu espanto? Quando foi a última vez que enfrentou algo tão surpreendente que ficou como petrificado e estava apenas admirando? Então, duas coisas acontecem. Primeiro, você para de fazer o que está fazendo no momento, e depois se dedica à admiração. Na noite da Natividade, os anjos do céu e as pessoas da terra pararam de fazer o que estavam fazendo no momento, e juntos pararam com reverência. O anjo disse-lhes: "Não tenham medo, porque agora mesmo trago-vos boas novas de grande alegria, que será para todo o povo, que vos trago boas novas de grande alegria para todas as pessoas. É que vos nasceu hoje, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor." O início da época terrena de Jesus é marcado por um tal milagre, porque essa era a próxima etapa do caminho de Jesus que não era apenas um grande professor ou profeta. Jesus foi o único quem viveu impecável. Ele era simultaneamente e completamente homem e totalmente Deus. Deus poderia anunciar o nascimento de Jesus num palácio real, mas ele enviou os anjos aos pastores.
Como você acha, por que Deus decidiu confiar o Início a uma mulher humilde como Maria e a pastores ordinários? Isso te espanta?

Assista vídeo


O Batismo de Jesus2 - O Batismo de Jesus

O Batismo conecta os crentes no cristianismo com o básico de sua fé e o evento central na história da humanidade – a morte de Jesus na cruz pelos nossos pecados. Quando o profeta João Batista batizou Jesus, uma voz do céu falou: "Você é Meu Filho amado; em Ti Me comprazo." João Batista pregava o batismo como arrependimento para remissão dos pecados. Muitas pessoas vinham para ouvir os sermões de João, para confessarem seus pecados, se arrepender e converter. João falava para eles: "Está chegando Aquele quem é mais forte do que eu, a quem não sou digno de desatar a correia dos sapatos. Eu vos batizo com água, mas Ele vos batizará com o Espírito Santo.” Por isso, quando João batizou Jesus no rio, enquanto ele estava saindo da água, o céu abriu e a voz de Deus disse: "Você é Meu Filho amado; em Ti Me comprazo." O Espírito Santo desceu sobre Ele em sua imagem corporal de pomba e pousou sobre Jesus, tornando verdadeira a profecia de Isaías (Evangelho de Isaías 11:2; 42:1). No dia seguinte, quando João Batista viu Jesus vindo em direção a ele, ele exclamou: "Olhem, o Cordeiro de Deus, Que tira o pecado do mundo "(Evangelho de João 1:29). Então João Batista testemunhou o seguinte: "Eu vi o Espírito Santo descendo sobre Ele em forma corpórea de pomba e manteve-se em Seu ombro. Eu não O conhecia, exceto aquele que me mandou batizar com água, me disse: "O homem sobre o qual o Espírito Santo descer e permanecer em seu ombro, é aquele que batizará com o Espírito Santo.' Eu o vi e testemunho que este é o Filho de Deus "(Evangelho de João 1:33-34).

Assista vídeo


A Mulher no Poço 3 - A Mulher no Poço

O caminho mais curto da Judéia para Galiléia era por Samaria. A maioria dos judeus evitava passar por Samaria porque não gostavam dos samaritanos. No caminho, Jesus e seus discípulos chegaram à cidade chamada Zihar, perto da qual vivia Jacob e tinha dado um lote de terra a seu filho José. Havia também o poço de Jacob. Jesus estava cansado do caminho e ao meio-dia sentou-se ao lado do poço para descansar. Quando uma mulher samaritana veio tirar água do poço, ela cruzou com a água perto de Jesus. Ele perguntou a ela: "Você me dá uma bebida?" A mulher ficou surpresa e disse: "Você é judeu e eu sou samaritana. Como você pode querer de mim para lhe dar de beber?" Jesus respondeu: "Se você soubesse do dom de Deus e quem te pede para lhe dar de beber, você teria pedido a ele e ele te daria água viva."
O que segundo Jesus significa "Água viva?"
Para diante, a discussão passou da vida  privada da mulher para questões de ministério da igreja. Jesus declara, "Acredite em mim, mulher, está chegando o tempo quando não rezará nem neste monte, nem em Jerusalém. Vocês, samaritanos, não sabem a quem adorar, e nós sabemos o que adoramos. A salvação vem dos judeus. Chega, no entanto, um momento, quando os verdadeiros crentes adorarão o Pai em espírito e verdade. Tais crentes quer o Pai." A mulher respondeu: "Eu sei que chegará o Messias (o Ungido do Senhor). Quando ele chegar, vai nos anunciar tudo." Então Jesus disse: "Eu sou o Messias".
O que Jesus pensa dizendo que os verdadeiros crentes adoram a Deus em espírito e verdade?

Assista vídeo


A Parábola do Semeador 4 - A Parábola do Semeador

Quando o camponês foi para o campo para semear suas sementes preciosas, ele primeiro se assegura que o solo está pronto para o aceitar, para dar uma rica colheita. Nesta parábola, narrada por Jesus, parece como se o semeador lançasse generosamente as sementes em qualquer terra: sobre a pedra, entre os espinhos, perto de estradas movimentadas, e outras em boa terra.  O Semeador sabe de certeza que nem todas as sementes germinarão, algumas permanecerão infrutíferas. Eis o que ele diz. Em primeiro lugar, devemos reconhecer o semeador e as sementes. Como Jesus conta a parábola, aparentemente sob Semeador ele pensava em si mesmo.  A semente é a palavra de DEUS. E quais são os quatro tipos de terra? A parábola é dirigida para as nossas vidas, nossa humanidade, nossos corações.

Deixe-me perguntar, então... Realmente o Semeador desperdiça Suas sementes, espalhando-as de forma aleatória? Jesus, o Semeador, tem outra opinião. Ele está convencido que algumas de Sues sementes cairão em solo bom e eis o que resulta. É recompensado cem vezes.

Aqui está o que invoca em nós esta parábola. Como preparar minha vida, minha natureza humana, meu coração para aceitar a semente de Deus? Parece-se que de nós próprios depende abrir nossos corações e aceitar a semente de Deus, que nos foi doada por Deus através de seu filho Jesus.

Assista vídeo


A Parábola do Bom Samaritano 5 - A Parábola do Bom Samaritano

Quem é o meu próximo? A resposta a esta questão parece óbvia para todos nós. Nosso vizinho, as pessoas da comunidade, nossos apoiantes políticos, na cidade, em nosso país. Se encontrarmos alguém roubado na estrada e reconhecermos nele um próximo, podemos ajudá-lo.
Jesus, no entanto, pintou um quadro completamente diferente do próximo. Se você se atrever a ler a parábola, cinco fatos LHE darão um alimento rico para o raciocínio.
1 - O Bom Samaritano sentiu condolência e seguiu-o de verdade.
2 - Embora desprezado pelos compatriotas do homem espancado, o Bom Samaritano ignorou os preconceitos. 
3 - O Bom Samaritano pagou o custo de restauração do homem maltratado do seu próprio bolso, sem qualquer esperança de alguma vez o seu dinheiro ser devolvido.
4 - O Bom Samaritano gozava de boa reputação, o proprietário da pousada confiou nele e seguiu seus desejos. 
5 - O Bom Samaritano foi muito generoso e provavelmente os cuidados prestados ao homem espancado, enquanto este se recuperar, colocaram-no em sérias dificuldades financeiras.
Tendo Jesus Cristo terminado sua parábola, o homem da lei que fez a pergunta permaneceu em silêncio, percebendo que nunca teria passado este teste.
E nós, poderíamos? Com a ajuda de Deus eu poderia.

Assista vídeo


Pai-Nosso 6 - Pai-Nosso

Já lhe aconteceu a sofrer das responsabilidades da vida e ser arrastado por um monte de preocupações humanas, dores e miséria? Será que o Universo verá o cisco insignificante que nós representamos no vasto sistema da criação? Nós parecemos tão insignificantes, uma brisa, um sopro e desaparecemos. Qual é a intenção de Deus em tudo isso? Somos importantes para Ele? Jesus diz que somos importantes. Jesus nos ensina a orar a Deus e dirigir-nos para Ele. E o que é o mais maravilhoso, Ele nos ensina a dirigir-nos para Deus como a nosso pai... PAI. Que Ele está ao lado de nós a cada respiração. Que é dele o Reino, que Ele quer nos fazer parte dele e nos incluir em seus planos para Sua criação. Jesus ensinou aos seus doze discípulos a orar, ele mudou suas vidas e poderia mudar as nossas.

Assista vídeo


Calvário 7 - Calvário

É difícil monitorar essa recriação da crucificação de Jesus na cruz. Mas por que os cristãos teimosamente se concentram sobre este evento cruel? Muitas pessoas querem lembrar-se de Jesus como um homem bom, até mesmo um grande profeta, no entanto, negam categoricamente a crucificação. A negação da crucificação de Jesus na cruz avilta a obra da graça de Deus para toda a humanidade. Com a crucificação de Jesus na cruz, junto com Cristo também morre na cruz a pecaminosa natureza humana. Deus determinou que nada de bom possa resultar da natureza humana pecaminosa. Ele considera o pecado um fenômeno extremamente cruel, sem sentido, pronuncia uma condenação sobre ele e prega-o na cruz junto com Cristo. Com o ato doloroso da crucificação, Deus mata a natureza pecaminosa daqueles que se arrependeram de seus pecados e acreditaram em Jesus Cristo. O Apóstolo Paulo escreveu aos Romanos 6:6. que os fiéis cristãos são "crucificados com ele." Ele disse ainda aos romanos 6:11 : "Ora, se já morremos com Cristo, acreditamos que também viveremos com Jesus Cristo.” Esta fé parece estúpida às pessoas. No entanto, este terrível acontecimento leva à maior bênção para a humanidade e alcança o que a sabedoria humana não conseguiu - a liberação do homem da escravidão do pecado.

Assista vídeo


Jesus ressuscitou dos mortos 8 - Jesus ressuscitou dos mortos

Nunca a história não terminou com a crucificação. Com efeito, em muitos aspectos, ele só então começa. Quando Jesus apareceu aos discípulos na sala, Ele aliviou seus medos, desejou-lhes a paz e em seguida, ele começou a demonstrar para eles como cumpre as promessas de Deus do Antigo Testamento. Veja o Evangelho de Lucas 24:44. Jesus claramente se identifica como aquele que vai cumprir as promessas de Deus no Antigo Testamento. O Apóstolo Paulo viria a resumir mais tarde a boa notícia com as palavras "Ele foi sepultado e no terceiro dia ressuscitou, de acordo com as escrituras "(Carta aos Corintianos 14:4). Seria em vão a fé dos cristãos se Cristo não ressuscitasse dentre os mortos. Nenhum Evangelho não importaria se aquele que morreu para expiar os pecados da humanidade, não ressuscitasse novamente. Todas as dúvidas que apareceram nos discípulos com a morte de Jesus, desaparecem logo que o anjo diga à mulher ao túmulo: "Por que buscais o vivente entre os mortos? Ele não está aqui, ele ressuscitou" (Evangelho de Lucas 24:5-6).
Você acredita na morte de Jesus Cristo em prol de sua salvação que é a libertação do pecado e suas conseqüências?
Você acredita  que Jesus é aquele que afirma?

Assista vídeo